blog do André Valente


Pessoas que o tempo esqueceu
11/06/2008, 01:01
Filed under: Pessoas que o tempo esqueceu

“Cross-eyed” Jamie Willis – 1903-1930


James Clark Willis bebia café durante as refeições. Tinha sempre no bolso um canivetinho de cabo perolado para tirar a sujeira de baixo das unhas e para descascar laranjas. Teve um caso com uma moça casada em Tallulah, Louisiana. Tinha alergia à prata. Conheceu Eddie James “Son” House Jr na igreja. Em 1924 contraiu cancro venéreo de uma prostituta menor de idade em Lexington, Mississipi. Não bebia leite. Morreu em 1930, com dois tiros no peito. De noite, quando estava prestes a pegar no sono, sentia como se o quarto estivesse cheio de gente cochichando. Não gostava de carro, mas gostava de andar de trem. Dizia conhecer uma clarividente em Livingston, Louisiana. Deu aulas de violão para a garotada de Robinsonville, Mississipi. Morou em Charleston dos doze aos quatorze anos, mas aos quinze voltou para Clarksdale. Entrou bêbado em uma espelunca onde Son House e sua banda tocavam sem ele, sacou uma pistola e disparou contra o colega. Era o terceiro de seis irmãos, mas só tinha amizade com o caçula. Foi coroinha. Media um metro e cinqüenta e nove centímetros de altura, mas usava sapatos de salto para parecer mais alto. Quando repousava a mão esquerda no braço do violão, instintivamente formava o acorde de C#7. Nasceu em Clarksdale, Mississipi. Pode ser ouvido ao fundo da gravação de “My Black Mama” de Son House para a Paramount, em 1930, batendo os pés no chão de madeira. Tinha uma cicatriz no ante-braço direito, feita numa briga de faca. Por conta de sua visão ruim, acertou o tiro na perna de Son House. Quando não havia café, bebia uísque. Fez parte da banda de Son House em Robinsonville, Mississipi. É o autor do blues “Walk Along”, que nunca foi registrado. Teve um cachorro chamado Monroe quando era menino, que morreu atropelado. Son House, que sempre tocava armado, revidou o tiro e matou Jamie Willis – em legítima defesa. Tinha medo de morrer afogado. Aos oito anos de idade viu sua mãe morrer de pneumonia. Certo dia acordou e descobriu que sua mulher o havia deixado. No bilhete, ela dizia ter voltado para o seu marido. “Cross-eyed” Jamie Willis sentou-se na mesa da cozinha e chorou. Naquele manhã a dor era tanta que ele desejava ter morrido.

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

A história que mais gostei até agora. :)

Comentário por aliceprina




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: